Project Description

Gluteoplastia

AUMENTO DO BUMBUM

Termo técnico: Gluteoplastia

Definição: Procedimento indicado para aumento de volume dos glúteos, através da utilização de prótese de silicone e/ou enxerto de gordura. Quando indicado, associamos à lipoaspiração de flancos (cintura), culotes, bem como enxerto de gordura na área de depressão da região lateral dos glúteos. A escolha do tamanho do implante é baseada nas proporções anatômicas de cada paciente. As formas disponíveis são: redonda, oval e oval com extra-projeção (quartzo). A utilização de cada tipo de prótese vai depender da anatomia da paciente e do seu desejo.

Tipo de anestesia

Geralmente anestesia peridural com sedação, anestesia raqui ou geral. Vale lembrar que a decisão do melhor tipo de anestesia fica a cargo do médico anestesista, que decidirá após conversa com o cirurgião e o próprio paciente.

Tempo de duração

Em média, 2 horas.

Período de internação

Em geral, 24 horas.

Evolução pós-operatória

Geralmente não é usado nenhum tipo de dreno. O fato de colocar a prótese no plano intra-muscular (dentro do músculo) minimiza o deslocamento, porém orientamos que nos primeiros 15 dias a paciente tome o cuidado de não apoiar na região operada. Ao sentar-se deverá apoiar somente a coxa e não o bumbum, e deitar de barriga para baixo ou para cima com apoio nas costas e nas coxas até 10º dia pós-operatório, quando então ela poderá deitar-se de lado. Após 15 dias são retirados os pontos e a paciente pode começar a apoiar a região operada gradativamente, aumentando o peso e a movimentação. Normalmente com 15 dias a paciente pode voltar às atividades normais, exercícios físicos somente após 60 dias.

Cicatriz

Fica localizada no sulco interglúteo, (entre os dois lados do bumbum), um local bastante escondido e de boa cicatrização.

Curativos

A paciente poderá lavar a região no primeiro dia após a cirurgia, e tomar o cuidado de secá-la bem após cada banho e aplicar solução antisséptica. Para ir ao banheiro não há nenhuma restrição; deve-se fazer a higiene com água e sabonete e tomar os mesmos cuidados do banho.

Complicações possíveis

É preciso entender que cada organismo reage de uma determinada maneira à cirurgia. Como exemplo, citamos a reação individualizada a determinados medicamentos, o que nos leva a preferir “esse ou aquele remédio”. Nesse sentido, independentemente do trabalho médico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela, o resultado final também dependerá da reação do organismo à cirurgia e dos cuidados pós-operatórios, podendo em alguns casos ocorrer resultados desfavoráveis. Entre eles que, felizmente, são raros, o (a) paciente pode apresentar:

* Infecção;

* Necrose de pele, por deficiência circulatória (sendo o tabagismo sua maior causa);

* Abertura dos pontos realizados, com possível exposição e consequente necessidade de retirada da prótese;

* Complicações anestésicas – conforme o tipo de anestesia realizada – podendo acontecer alergia a medicamentos (choque anafilático), vômitos repetitivos, hipertermia maligna, cefaleia (dor de cabeça) pós raqui e peridural, etc;

* Trombose venosa – coagulação do sangue dentro das veias, ocorrendo frequentemente nas pernas, cujos sintomas são inchaço e dor.  A embolia ocorre quando esses trombos se deslocam e migram para o pulmão, o que pode acontecer até 30 dias após a cirurgia;

* Complicações estéticas: cada pessoa tem um tipo de cicatrização. São exemplos de complicações estéticas o aparecimento de quelóides, hipercromia de cicatrizes (escurecimento), assimetrias, etc;

* Hematoma;

* Seroma;

* Entre outras.

Recomendações pré-operatórias

* Compareça ao local da cirurgia (hospital, clínica), no horário previsto e marcado na sua guia de internação;

* Apresentar-se para a internação acompanhado (a) de alguém;

* Comunicar qualquer anormalidade apresentada ou uso de medicações antes da internação (ex: doenças, uso de medicações como AAS e anti-inflamatórios que devem ser suspensos 7 dias antes da cirurgia, bem como chá de alho ou GinkoBiloba,etc.);

* Tomar banho de corpo inteiro na véspera da cirurgia;

* Não usar esmalte de cor escura;

* Jejum mínimo de 8h antes da cirurgia (inclusive de água), evitando bebidas alcoólicas ou refeições fartas na véspera da cirurgia;

* Não levar objetos de valor, pois a perda é de responsabilidade do paciente;

* Levar as meias compressivas.

Meia compressiva para profilaxia mecânica de trombose.

Recomendações pós-operatórias

* Cuidado importante é não apoiar sobre os glúteos e áreas de enxerto de gordura;

*Evitar esforço físico por um período de 30 dias.

* Movimentar-se normalmente dentro de casa para melhora da circulação nas pernas;

* Uso de meias compressivas;

* Não se expor ao sol ou friagem por um período mínimo de 30 dias.

* Obedecer rigorosamente à prescrição médica.

* Alimentação normal (salvo em casos especiais que receberão orientação específica);

* Obedecer rigorosamente à prescrição médica;

* Voltar ao consultório para a troca de curativos, nos dias e horários marcados;

* Consultar essas instruções tantas vezes quantas forem necessárias, restando alguma dúvida, contatar o Dr. Diogo ou outro profissional de sua equipe;

* O resultado esperado também depende de você.

Lembretes importantes

* Toda cirurgia envolve riscos e toda intervenção com finalidades estéticas quanto reparadoras pode necessitar de retoques;

* Essas recomendações são gerais e dizem respeito à evolução habitual de pós-operatório, podendo ocorrer complicações não contidas neste informativo com as respectivas orientações que se fizerem necessárias.