Project Description

Lipoaspiração

TERMO TÉCNICO: LIPOASPIRAÇÃO

Definição: Consiste em retirar o excesso de gordura através de um aparelho de sucção ou seringas, conectados a cânulas. Por sua vez, a lipoescultura é a utilização da própria gordura retirada para modelar partes do corpo ou preencher depressões. Ambos são procedimentos que podem ser realizados isoladamente ou associados com outras intervenções, tais como as plásticas de abdômen ou de face.

Vários termos são utilizados, (Lipo Light, Vibrolipo, Lipo a Laser, Lipo Ultrassônica, Lipo tumescente, Hidrolipo etc), mas, na verdade, obedecem o mesmo princípio da retirada de gordura por cânulas, com variações como, cânulas que vibram e permitem menor esforço físico do cirurgião( vibrolipo).

Trabalho publicado em uma das mais importantes revistas de cirurgia plástica, a Plastic and Reconstructive Surgery Journal, ao estudar o resultado das variações da técnica tradicional, chegou-se á conclusão que o emprego da técnica tumescente (infiltração de soro) – hoje praticamente unânime e usada por quase todos os cirurgiões, inclusive por nós – diminui o sangramento e permite uma cirurgia mais segura, eficiente e com menores efeitos colaterais tanto estéticos quanto sistêmicos. Quanto às outras técnicas, a conclusão é que os resultados se equivalem, sendo fator determinante para o bom resultado a habilidade do cirurgião que está realizando o procedimento e não o nome da técnica que foi alardeada para a mídia.

A quantidade de gordura a ser retirada e os devidos locais são baseados numa análise clínica criteriosa, que dependerá do bom senso de cada cirurgião, porém não excedendo critérios já definidos pelo Conselho Federal de Medicina.

Tipo de anestesias

Geralmente anestesia peridural com sedação ou anestesia geral. Vale lembrar que a decisão do melhor tipo de anestesia fica a cargo do médico anestesista, que decidirá após conversa com o cirurgião e o próprio paciente.

Tempo de duração

Depende da extensão da lipoaspiração, variando de 30 minutos a 2horas e meia.

Período de internação

De 12 a 24 horas dependendo do tipo de anestesia utilizada, do volume aspirado e da associação com outros procedimentos.

Evolução pós-operatória

Com a utilização da técnica tumescente, com infiltração de soro fisiológico, é comum a drenagem pós-operatória de parte desse líquido por orifícios onde foram introduzidas as cânulas, o que pode causar ansiedade desnecessária ao paciente e familiares, sendo recomendável até a utilização de drenos, em casos de lipoaspiração de maiores volumes, para aspirar parte desse soro.

A lipoaspiração é considerada uma cirurgia relativamente dolorosa, todavia, a sensação de dor existe quando o (a) paciente se movimenta e costuma não ocorrer quando este está em repouso. O controle da dor se faz através do uso de analgésicos comuns.

O retorno para o trabalho é variável de pessoa para pessoa. Em média, no caso de uma grande lipoaspiração, em torno de 7 dias, e nos casos menores varia de 3 a 5,   ainda que com restrições.

Nos casos de lipoaspirações grandes, a paciente sente-se bastante desanimada nos primeiros dias, como se estivesse recuperando de uma gripe muito forte. Por isso, nesta fase a alimentação deve ser normal e sem restrições. É muito importante tomar muito líquido, para garantir uma hidratação adequada. Para evitar mal estar, procure fracionar a ingestão de líquidos e da dieta, ingerindo pequenas porções a cada 30 a 60 minutos.

Em determinados casos, porém raros, poderá haver a necessidade de transfusão sanguínea. Se ocorrer, o (a) paciente receberá os esclarecimentos necessários para ciência e autorização.

Até o 14º dia de pós-operatório as equimoses (manchas roxas) estarão presentes e fazem parte do quadro normal. Este prazo, porém, pode ser maior ou até menor, variando de pessoa para pessoa. Já o edema (inchaço) diminui cerca de 50 % no primeiro mês, sendo que o restante diminui gradativamente durante os próximos 6 meses. Nesse sentido, o resultado esperado de uma lipoaspiração costuma ser melhor avaliado após o 90º dia, idealmente, a avaliação final deve ser feita após 180 dias. A drenagem linfática pode ajudar na redução do edema e está indicada a partir do 12º ao 15 ºdia pós-operatório, com exceção das áreas de lipoenxertia.

Lipoenxertia

As regiões que receberam enxerto de gordura merecem um cuidado especial, não devendo haver pressão nesses locais pelo período mínimo de 15 dias para evitar a reabsorção da gordura.

Cicatrizes

As cicatrizes deixadas pela lipoaspiração são muito discretas, e em número variado, normalmente com cerca de 1 cm de extensão, feitas em locais muito pouco aparentes, como por exemplo dentro do umbigo, do sulco mamário, nas laterais dentro da marca do biquíni, etc, e normalmente  não incomodam as (os) pacientes.

Curativos e cintas modeladoras

Os curativos são realizados com fitas microporadas que ficam diretamente sobre as incisões e são trocadas a cada 4 dias, sendo que a paciente pode molhar esse curativo durante o banho e secar suavemente com uma toalha seguida da aplicação de álcool 70%. O modelador é obrigatório e deve ser usado sem interrupções, ou seja, o dia todo, por 45 dias, assim como o uso da placa maleável embaixo do modelador – que é usada por 30 dias. Essas peças somente serão retiradas durante o banho e dispensadas após ordem expressa do cirurgião, o que pode ocorrer mesmo antes do período acima mencionado. O USO DO MODELADOR, QUE VISA FIRMAR A PELE DESCOLADA, NÃO DEVE APERTAR DEMASIADAMENTE, DEVIDO AO RISCO DE COMPROMETER A CIRCULAÇÃO CAUSANDO NECROSES DE TECIDOS. DEVE SER USADO PARA MAIOR CONFORTO E PARA ORIENTAR O PROCESSO DE CICATRIZACAO DA REGIÃO E NÃO PARA DIMINUIR MEDIDAS, COMO ERRÔNEAMENTE PENSA A MAIORIA DOS (AS) PACIENTES.

Complicações possíveis

É preciso entender que cada organismo reage de uma determinada maneira à cirurgia. Como exemplo, citamos a reação individualizada a determinados medicamentos, o que nos leva a preferir “esse ou aquele remédio”. Nesse sentido, independentemente do trabalho médico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela, o resultado final também dependerá da reação do organismo à cirurgia e dos cuidados pós-operatórios, podendo em alguns casos ocorrer resultados desfavoráveis. Entre eles que, felizmente, são raros, o (a) paciente pode apresentar:

* Infecção.

* Irregularidades na superfície lipoaspirada – normalmente por retirada excessiva ou em peles muito finas;

* Necrose de pele, por deficiência circulatória (sendo o tabagismo sua maior causa) ou também pelo uso de modelador excessivamente apertado no pós operatório imediato;

* Trombose venosa – coagulação do sangue dentro das veias, ocorrendo frequentemente nas pernas, cujos sintomas são inchaço e dor.  A embolia ocorre quando esses trombos se deslocam e migram para o pulmão, o que pode acontecer até 30 dias após a cirurgia;

* Perfuração de vísceras (raríssima);

* Flacidez de pele na região lipoaspirada;

* Abertura dos pontos realizados;

* Complicações anestésicas – conforme o tipo de anestesia realizada – podendo acontecer alergia a medicamentos(choque anafilático), vômitos repetitivos, hipertermia maligna, cefaleia (dor de cabeça) pós-peridural, etc;

* Complicações estéticas: cada pessoa tem um tipo de cicatrização. São exemplos de complicações estéticas o aparecimento de quelóides, hipercromia de cicatrizes (escurecimento), irregularidades da área operada, etc;

* Alteração de sensibilidade da área operada;

* Entre outras.

Recomendações pré-operatórias

* Compareça ao local da cirurgia (hospital, clínica), no horário previsto e marcado na sua guia de internação;

* Apresentar-se para a internação acompanhado (a) de alguém;

* Comunicar qualquer anormalidade apresentada ou uso de medicações antes da internação (ex: doenças, uso de medicações como AAS e anti-inflamatórios que devem ser suspensos 7 dias antes da cirurgia, bem como chá de alho ou GinkoBiloba,etc.);

* Tomar banho de corpo inteiro na véspera da cirurgia;

* Não usar esmalte de cor escura;

* Jejum mínimo de 8h antes da cirurgia (inclusive de água), evitando bebidas alcoólicas ou refeições fartas na véspera da cirurgia;

* Não levar objetos de valor, pois a perda é de responsabilidade do paciente;

* Levar a cinta modeladora e meias compressivas.

Cinta modeladora para lipo de abdômen e flancos (cintura).

Protetor (placa) abdominal para lipoaspiração de abdômen.

Cinta modeladora para lipo de abdômen, flancos, culotes e face interna das coxas.

Cinta modeladora para lipo de culotes e face interna da coxas.

Meia compressiva para profilaxia mecânica de trombose.

Cinta modeladora para lipoaspiração de abdômen, flancos, costas, culotes e face interna das coxas em homens.

Recomendações pós-operatórias

* Evitar esforço físico, porém andar normalmente para realizar atividades corriqueiras do lar, como o banho e alimentação;

* Alimentar-se normalmente, com o cuidado de ingerir bastante líquido incluindo soluções isotônicas;

* Usar a cinta modeladora e meias compressivas, retirando-as apenas para o banho;

* Tomar banho de corpo inteiro, secando as feridas levemente com toalha seca e limpa, e aplicar álcool 70% sobre fitas de micropore, colocar gaze estéril sobre orifícios de drenagem, se for o caso;

* Obedecer às prescrições de seu médico;

* Voltar ao consultório para fazer os curativos e as revisões nas datas estipuladas;

* Consultar essas instruções tantas vezes quantas forem necessárias;

* Consultar o Dr. Diogo sobre quando poderá voltar às atividades normais;

* O resultado esperado também depende de você.

Lembretes importantes

* Toda cirurgia envolve riscos e toda intervenção com finalidades estéticas quanto reparadoras pode necessitar de retoques;

* Essas recomendações são gerais e dizem respeito à evolução habitual de pós-operatório, podendo ocorrer complicações não contidas neste informativo com as respectivas orientações que se fizerem necessárias.