Project Description

Otoplastia

PLÁSTICA DAS ORELHAS

Termo técnico: Otoplastia.

Definição: A orelha tem também sua importância estética. Quando ela foge aos ditames da normalidade, o que é de fácil comprovação, pelo conhecido aspecto de “orelha de abano”, costuma trazer constrangimentos ao seu portador, em razão dos comentários ou dos olhares alheios. A otoplastia é o tratamento padrão para essa deformidade, e a idade ideal para a correção é em torno dos 8 anos, por várias razões: porque a orelha já está totalmente formada, atingindo quase o tamanho daquela de um adulto; evita que, na escola, a criança venha  sofrer problemas de ordem psicológica, em função de comentários ou zombarias por parte dos colegas, “bullying”. Todavia, nada impede que esta correção se faça em outras fases da vida, como na idade adulta.

Tipo de anestesias

Local com sedação ou anestesia geral. Vale lembrar que a decisão do melhor tipo de anestesia fica a cargo do médico anestesista, que decidirá após conversa com o cirurgião e o próprio paciente.

Tempo de duração

Em média de 60 minutos.

Período de internação

Em torno de 6 a 12 horas, ou até 24 horas a depender do caso.

Cicatrizes

A cicatriz desse tipo de cirurgia é imperceptível, em razão de localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crânio. Sendo uma região de pele muito fina, a tendência da cicatriz é ficar inaparente.

Evolução pós-operatória

Geralmente não há ocorrência de dor, se ocorrer, debela-se com uso de analgésicos comuns. Persistência da dor pode significar a presença de hematoma (acúmulo de sangue). Edema (inchaço) e vermelhidão são esperados, não significando infecção, porém esta não pode ser descartada. A proteção da cicatriz é feita com pequenos curativos e a orelha é protegida, nos primeiros 10 dias, com uma espécie de touca ou faixa que somente é retirada para o banho (principalmente em crianças), o que previne traumatismos locais. Do 10º ao 30º dia essa proteção pode ser usada somente à noite para dormir. O resultado é variável, de pessoa para pessoa. No entanto, após 6 meses, pode-se fazer uma avaliação definitiva. Lembrar sempre que um lado do corpo nunca é igual ao outro, assim, uma pequena assimetria é possível de ser observada mesmo após a cirurgia, o que também ocorre com as pessoas que têm orelhas normais, já que não existe simetria absoluta na natureza.

Complicações possíveis

É preciso entender que cada organismo reage de uma determinada maneira à cirurgia. Como exemplo, citamos a reação individualizada a determinados medicamentos, o que nos leva a preferir “esse ou aquele remédio”. Nesse sentido, independentemente do trabalho médico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela, o resultado final também dependerá da reação do organismo à cirurgia e dos cuidados pós-operatórios, podendo em alguns casos ocorrer resultados desfavoráveis. Entre eles que, felizmente, são raros, o (a) paciente pode apresentar:

* Infecção;

* Necrose de pele, por deficiência circulatória (sendo o tabagismo sua maior causa);

* Formação de hematomas por elevação da pressão arterial (podendo levar à necrose da pele por distensão);

* Abertura dos pontos realizados;

* Complicações anestésicas – conforme o tipo de anestesia realizada – podendo acontecer alergia a medicamentos (choque anafilático), vômitos repetitivos, hipertermia maligna, etc;

* Complicações estéticas: cada pessoa tem um tipo de cicatrização. São exemplos de complicações estéticas o aparecimento de quelóides, hipercromia de cicatrizes (escurecimento), irregularidades da área operada, etc;

* Hipercorreção (orelha muito perto do crânio) que tende a resolver com o tempo;

* Perda parcial do resultado devido à memória da cartilagem (mais comum em adultos, pois têm a cartilagem mais endurecida);

* Deformidades cartilaginosas;

* Alteração de sensibilidade da área operada;

* Entre outras.

Recomendações pré-operatórias

* Compareça ao local da cirurgia (hospital, clínica), no horário previsto e marcado na sua guia de internação;

* Apresentar-se para a internação acompanhado (a) de alguém;

* Comunicar qualquer anormalidade apresentada ou uso de medicações antes da internação (ex: doenças, uso de medicações como AAS e anti-inflamatórios que devem ser suspensos 7 dias antes da cirurgia, bem como chá de alho ou GinkoBiloba,etc.);

* Tomar banho de corpo inteiro na véspera da cirurgia;

* Não usar esmalte de cor escura;

* Não usar maquiagem;

* Jejum mínimo de 8h antes da cirurgia (inclusive de água), evitando bebidas alcoólicas ou refeições fartas na véspera da cirurgia;

* Não levar objetos de valor, pois a perda é de responsabilidade do paciente.

* Levar a touca ou faixa de contenção.

Faixa para Otoplastia

Recomendações pós-operatórias

* Trocar o curativo atrás das orelhas tantas vezes quantas forem necessárias;

* Tomar cuidado especial com a faixa sobre as orelhas, mantendo-a ininterruptamente por 10 dias;

* Evitar exposição ao sol por um período de 30 dias;

* Alimentação normal (salvo em casos especiais que receberão orientação específica);

* Obedecer rigorosamente à prescrição médica;

* Voltar ao consultório para a troca de curativos, nos dias e horários marcados;

* Consultar essas instruções tantas vezes quantas forem necessárias, restando alguma dúvida, contatar o Dr. Diogo ou outro profissional de sua equipe;

* Poderá retomar as atividades escolares ou profissionais, em torno de 7 dias após a cirurgia;

* O resultado esperado também depende de você.

Lembretes importantes

* Toda cirurgia envolve riscos e toda intervenção com finalidades estéticas quanto reparadoras pode necessitar de retoques;

* Essas recomendações são gerais e dizem respeito à evolução habitual de pós-operatório, podendo ocorrer complicações não contidas neste informativo com as respectivas orientações que se fizerem necessárias.