Project Description

Plástica dos Membros

BRAÇO

Termo técnico: Lift Braquial / Correção de lipodistrofia Braquial.

Definição: Termo utilizado para definir a retirada do excesso de pele e gordura dos braços. A incisão geralmente é posicionada no sulco biciptal (parte interna dos braços) ou posterior. Traz uma melhora importante do contorno dessa região, porém com o inconveniente de uma cicatriz visível.

É indicada para pacientes com grande flacidez nos braços, de tal maneira que, com estes abertos, fiquem as abundantes “sobras” de pele penduradas. Quando bem indicada e aceita, os resultados são muito compensadores, podendo ser associada à cirurgia das mamas. A lipoaspiração isolada está indicada para pequenos acúmulos de gordura sem a referida flacidez de pele pois, do contrário, lipar área com flacidez pode resultar na piora do quadro.

COXAS

• Termo técnico: Lift de Coxas / Correção de lipodistrofia Crural ou Trocantérica.

• Definição: Termo utilizado para definir a retirada do excesso de pele e gordura das coxas. A incisão geralmente é posiciona na parte interna das coxas, começando na região inguinal (virilha) e seguindo até a parte interna do joelho em casos mais graves. Segue a mesma “filosofia” do lift de braços, com melhora do contorno e flacidez à custa de cicatrizes.

A lipoescultura pode oferecer resultados excelentes para essa região desde que não tenha flacidez. Frequentemente a (o) paciente que necessita desta cirurgia tem indicações de cirurgias combinadas, como a lipoescultura e a abdominoplastia.

Existem casos em que as coxas são muito finas, principalmente em suas faces internas, mostrando um espaço entre elas quando estão juntas. Estes casos podem ser resolvidos ou melhorados com implante de silicone, com resultados muito interessantes e que, de um modo geral trazem grande satisfação aos clientes. As complicações deste procedimento são aquelas próprias a qualquer implante de silicone em outras regiões do corpo humano.

PERNAS

Termo técnico: Implante de panturrilha / Prótese de panturrilha.

• Definição: O implante de panturrilha visa “engrossar” as pernas. Específica para a região, a prótese é colocada através de pequena incisão na prega posterior entre a perna e a coxa. O resultado imediato é muito interessante. Porém, como é uma região de muita mobilidade, pode ocorrer de este silicone deslocar-se ao longo do tempo, forçando sua retirada ou reposicionamento. Esta cirurgia pode ser indicada para pacientes que têm atrofia em um dos membros (casos de sequelas de paralisia ou fraturas complicadas) e querem equilibrar sua aparência. Recomenda-se o uso de meias compressivas e calçados com salto tipo médio.

Tipo de anestesia

Em geral anestesia peridural ou geral. Vale lembrar que a decisão do melhor tipo de anestesia fica a cargo do médico anestesista, que decidirá após conversa com o cirurgião e o próprio paciente.

Tempo de duração

Em média, 90 minutos para lift de braços e coxas, e 1h para prótese de panturrilha.

Período de internação

Em torno de 12 a 24h.

Cicatrizes

Até o 30º dia o corte apresenta bom aspecto, e poderá ocorrer discreta reação aos pontos ou ao curativo. Do 30º dia ao 12º mês haverá um espessamento natural da cicatriz e mudança nas tonalidades de sua cor, podendo passar de vermelho a marrom para, em seguida, começar a clarear. Por ser o período menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa os pacientes. Todavia, ele é temporário e varia de paciente à paciente. Do 12º ao 18º mês a cicatriz tende a tornar-se cada vez mais clara e menos espessa, atingindo assim o seu aspecto definitivo. Portanto, qualquer avaliação definitiva de uma cirurgia deste tipo deverá ser feita após um período de 18 meses. O inconveniente pode ser o local visível das mesmas (braços e coxas) só camufladas com vestimentas.

Evolução pós-operatória

Geralmente não há ocorrência de dor, se ocorrer, debela-se com uso de analgésicos comuns. Persistência da dor pode significar a presença de hematoma (acúmulo de sangue). Edema (inchaço) e vermelhidão são esperados, não significando infecção, porém esta não pode ser descartada. É comum a formação de pequenos nódulos abaixo da cicatriz dos braços e coxas que geralmente são reações aos fios.

Para todos esses procedimentos o paciente poderá voltar às atividades regulares em média de 7 a 14 dias e realizar exercícios físicos após 30 dias.

Complicações possíveis

É preciso entender que cada organismo reage de uma determinada maneira à cirurgia. Como exemplo, citamos a reação individualizada a determinados medicamentos, o que nos leva a preferir “esse ou aquele remédio”. Nesse sentido, independentemente do trabalho médico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela, o resultado final também dependerá da reação do organismo à cirurgia e dos cuidados pós-operatórios, podendo em alguns casos ocorrer resultados desfavoráveis. Entre eles que, felizmente, são raros, o (a) paciente pode apresentar:

* Infecção;

* Necrose de pele, por deficiência circulatória (sendo o tabagismo sua maior causa);

* Formação de hematomas por elevação da pressão arterial (podendo levar à necrose da pele por distensão);

* Abertura dos pontos realizados, com exposição da prótese da panturrilha e consequente necessidade de retirada;

* Trombose venosa – coagulação do sangue dentro das veias, ocorrendo frequentemente nas pernas, cujos sintomas são inchaço e dor.  A embolia ocorre quando esses trombos se deslocam e migram para o pulmão, o que pode acontecer até 30 dias após a cirurgia;

* Complicações anestésicas – conforme o tipo de anestesia realizada – podendo acontecer alergia a medicamentos (choque anafilático), vômitos repetitivos, hipertermia maligna, cefaléia (dor de cabeça) após peridural ou raqui, etc;

* Complicações estéticas: cada pessoa tem um tipo de cicatrização. São exemplos de complicações estéticas o aparecimento de quelóides, hipercromia de cicatrizes (escurecimento), irregularidades da área operada, etc;

* Alterações de sensibilidade;

* Entre outras.

Recomendações pré-operatórias

* Compareça ao local da cirurgia (hospital, clínica), no horário previsto e marcado na sua guia de internação;

* Apresentar-se para a internação acompanhado (a) de alguém;

* Comunicar qualquer anormalidade apresentada ou uso de medicações antes da internação (ex: doenças, uso de medicações como AAS e anti-inflamatórios que devem ser suspensos 7 dias antes da cirurgia, bem como chá de alho ou GinkoBiloba,etc.);

* Tomar banho de corpo inteiro na véspera da cirurgia;

* Jejum mínimo de 8h antes da cirurgia (inclusive de água), evitando bebidas alcoólicas ou refeições fartas na véspera da cirurgia;

* Não levar objetos de valor, pois a perda é de responsabilidade do paciente.

* Levar meias compressivas .

Meia compressiva para profilaxia mecânica de trombose.

Recomendações pós-operatórias

* Repouso relativo, evitando esforço físico;

* Uso de meias compressivas e calçados com salto tipo médio ( prótese de panturrilha);

* Alimentação normal (salvo em casos especiais que receberão orientação específica);

* Obedecer rigorosamente à prescrição médica;

* Voltar ao consultório nos dias e horários marcados;

* Consultar essas instruções tantas vezes quantas forem necessárias, restando alguma dúvida, contatar o Dr. Diogo ou outro profissional de sua equipe;

* O resultado esperado também depende de você.

Lembretes importantes

* Toda cirurgia envolve riscos e toda intervenção com finalidades estéticas quanto reparadoras pode necessitar de retoques;

* Essas recomendações são gerais e dizem respeito à evolução habitual de pós-operatório, podendo ocorrer complicações não contidas neste informativo com as respectivas orientações que se fizerem necessárias.